UM POUCO SOBRE MIM

Sou professor do curso de Licenciatura em Educação Musical da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desde 2004.

Atuo como baterista em grupos de rock, jazz e música brasileira, tocando em shows e gravações. Entre os conjuntos, projetos e artistas que já acompanhei, estão Härd:On, Das Fossem, Violectra, Casa de Marimbondo, Tribores, Orquestra Rock, Jennifer Licko, Marise Marra, Marília Corrêa, Paulo Aggio Trio, Yumi e os Sensonautas, U2 Cover, Leandro Bonfim e Banda B, Remo Pellegrini, Karmanguia, Queentet Jazz e Scottish Link Pipe Band.

Comecei a estudar bateria com Jayme Pladevall em 1985 e me formei Bacharel em Música Popular pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em 1992. A partir de 96 passei um período de 3 anos em Nova York, estudando na escola Drummers Collective e tendo aulas com Michael Lauren e Kim Plainfield, entre vários outros professores.

Nos Estados Unidos, comecei um envolvimento com a empresa Hudson Music, participando das gravações de DVDs educacionais de grandes bateristas, como Gregg Bissonette e Thomas Lang, e também fazendo as entrevistas para os DVDs dos festivais da revista Modern Drummer. Entrevistar músicos como Steve Gadd, Dave Weckl, Stewart Copeland, Steve Smith e dezenas de outros foi uma experiência muito enriquecedora. Esse trabalho continuou até 2006, quando o surgimento do YouTube modificou o cenário de vídeos educacionais por completo.

Retornando ao mundo acadêmico, fiz Mestrado (2002) e Doutorado (2010) na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), com pesquisas sobre educação musical, tecnologia e educação a distância. Quando iniciei o mestrado, no final da década de 90, a internet não era o que é hoje - os poucos que falavam sobre isso estavam desbravando o terreno.

Como instrumentista, continuei buscando oportunidades para tocar. Me apresentei em grandes festivais de percussão, entre os quais o Batuka! (2002, 2004 e 2009) e o Festival Internacional de Percussão do Conservatório de Tatuí (2005), tanto com o quarteto de baterias Casa de Marimbondo como com o grupo Tribores.

Com o trio Das Fossem, toquei na abertura de shows das bandas Scorpions (Credicard Hall) e Winger (Carioca Clube), em 2010. Toquei também em muitas apresentações no circuito SESC e SESI, principalmente com o Tribores e com Marise Marra, entre 2006 e 2016.

Com o projeto Orquestra Rock, desde 2016 tenho tocado concertos em praças públicas e grandes casas de shows, alguns deles acompanhando bandas como Ira!, Jota Quest e Skank, e artistas como Frejat, Marcelo Nova e Dinho Ouro Preto.

Participei da cena do teatro musical de São Paulo, tocando nos musicais “Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava” (2004), de Charles Möeller e Cláudio Botelho; e “Suburbano Coração” (2003), de Chico Buarque e Naum Alves de Souza.

Na década de 90, antes de ir para os Estados Unidos, toquei com o grupo Violectra em vários festivais e projetos culturais, destacando-se uma apresentação que fizemos ao lado da Orquestra Sinfônica de Campinas, sob a regência do maestro Benito Juarez, em 94, Nessa época, também acompanhei artistas internacionais de dance music em suas turnês no Brasil. Foram dezenas de shows com Playahitty, Nevada, Venus, Joy Salinas e La Bouche.

Fui coordenador técnico da revista Batera & Percussão por dois anos, antes que fosse extinta, e escrevi dezenas de matérias para essa publicação, na maioria sobre as produções de DVDs que eu participava nos EUA.

Atualmente, continuo participando de congressos e eventos científicos sobre o ensino de percussão e o uso de tecnologias  na educação musical, e não deixo passar as chances de fazer o que realmente mais gosto: tocar bateria.

  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle

© 2018 by DANIEL GOHN.